$type=grid$show=home$count=4$cate=0$rm=0$sn=0$au=0$cm=0

Alvo do TJ-BA, agentes penitenciários negam greve: 'O Estado induziu o Judiciário ao erro'


[Alvo do TJ-BA, agentes penitenciários negam greve: 'O Estado induziu o Judiciário ao erro']
 Por: Divulgação/Sinspeb
Na última quinta-feira (15), os agentes penitenciários da Bahia foram surpreendidos por uma decisão expedida pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que aponta ilegalidade em um suposto movimento grevista da categoria. No despacho, o juiz substituto de segundo grau plantonista Arnaldo Freire Franco determinou a imediata suspensão da paralisação iniciada pelos servidores, definindo multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento. 

A informação, no entanto, surpreendeu o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado da Bahia (Sinspeb), que nega a paralisação das atividades. Ao BNews, o presidente do Sindicato, Reivon Pimentel, explicou, no mês de fevereiro, que após assembleia, a categoria tinha deliberado por declarar 'estado de greve' (alerta para uma eventual paralisação) e não 'greve'. 

Segundo argumento do governo estadual, que entrou com a ação ordinária na Justiça contra os agentes, a greve é proibida aos servidores ligados à segurança pública e que a paralisação coloca "em risco o sistema prisional, a incolumidade física das pessoas que nele laboram e de toda a sociedade". 

A justificativa é contestada pelo Sinspeb, afirmando que os agentes não compõem o quadro da Segurança Pública. "Ao ajuizar ação requerendo a declaração de ilegalidade de greve, o Estado da Bahia acabou induzindo o Poder Judiciário a erro", afirma o Sinspeb em nota.

Dentre as reivindicações, a categoria aponta déficit no número de agentes penitenciários, onde 324 postos estariam vagos.


Leia a nota na íntegra: 

"NOTA DE ESCLARECIMENTO DO SINSPEB

No dia 15/03 (quinta-feira) o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado da Bahia – SINSPEB – foi surpreendido com uma decisão do Tribunal de Justiça declarando ilegal uma suposta GREVE deflagrada no mês de fevereiro.
Tal surpresa se deve ao fato de que NÃO FOI DEFLAGRADA nenhuma greve pela categoria. Aliás, não ocorrera assembleia para deliberação de movimento paredista e, por óbvio, nenhum aviso de greve fora protocolado nos órgãos competentes.

Em verdade, a deliberação da última assembleia realizada pelos servidores fora no sentido de se decretar o ESTADO DE GREVE, com aprovação de uma PAUTA de reivindicações a serem negociadas com a SEAP – Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia, com votação dos pontos mais graves e urgentes e que devem ser levados à mesa de negociação.

Os servidores públicos possuem direito de greve, mesmo porque se trata de um direito social e fundamental, sendo inadmissível qualquer proibição a esse mecanismo de manifestação, visto o princípio da vedação do retrocesso. O Estado não pode restringir, suprimir ou diminuir qualquer direito fundamental, sobretudo aqueles conquistados após décadas de sacrifícios por parte de entidades sindicais e trabalhadores. De qualquer sorte, o direito a greve encontra amparo no artigo 37, inciso VII da Constituição Federal.

Importante esclarecer que os agentes penitenciários não fazem parte da SEGURANÇA PÚBLICA, mesmo porque o rol do art. 144 da CF que trata sobre os órgãos da Administração Pública é taxativo e só pode ser alterado por meio de Emenda Constitucional (Como por exemplo, a PEC 372/17, que insere os Agentes Penitenciários no art. 144), razão pela qual não há qualquer vedação legal para a realização de greve pelos agentes penitenciários.

Ao ajuizar ação requerendo a declaração de ilegalidade de greve, o Estado da Bahia acabou induzindo o Poder Judiciário a erro. Ao analisar o pedido liminar do Estado, o magistrado plantonista determinou a suspensão da greve supostamente deflagrada. 
Como dito outrora, trata-se de decisão completamente inócua, já que, inexistindo greve, não há descumprimento a comando judicial.

Ademais, cumpre ressaltar que nenhum serviço e/ou atividade foram suspensos pela categoria. Os servidores estão exercendo as suas funções dentro da legalidade, ou seja, daquilo disposto na Lei 7.209/97 (Institui o Grupo Ocupacional Serviços Penitenciários da Administração Direta do Estado) e à LEP (Lei de Execuções Penais) – Lei 7.210/84. 

Segundo o princípio da legalidade, o servidor público não pode fazer o que bem entender sob o pretexto da busca do interesse público, ou seja, o cumprimento legal é ato impositivo. Como sabido, quem serve ao Estado só pode fazer aquilo que a lei expressamente autoriza. Na hipótese de lacuna legal, não há espaço para discricionariedades. Em contrapartida, o cidadão comum pode fazer tudo aquilo que a lei não proíbe, incluindo os casos de silêncio legal. 

Ressalte-se que o Estado, ao invés de emparelhar as unidades de gestão plena e zelar pela segurança dos servidores penitenciários, opta pela instrumentalização do servidor para o exercício de atividades ilegais, ilegítimas e imorais. Não é admissível que o servidor continue sendo coisificado pela Administração Pública, mesmo porque as coisas possuem preço, as pessoas possuem dignidade e dignidade não tem preço.

O desconforto demonstrado pelas autoridades envolvidas no sistema penitenciário é, no mínimo, estranho, mesmo porque só veio à tona após decisão de que a categoria somente exerceria as suas atividades laborativas dentro dos limites legais. Os vícios e costumes impostos por meio de ameaças e coações de autoridades não serão mais admitidos. 

Também é importante destacar que o SINSPEB sempre busca o diálogo com a Administração Pública, visando a melhoria das mazelas que assolam o sistema penitenciário Baiano, além de soluções para os problemas que ameaçam a saúde, a segurança e a integridade física dos agentes penitenciários que trabalham desprotegidos pelo Estado, jogados à própria sorte, sem condições adequadas de trabalho.

É importante esclarecer que nenhuma medida ilegal foi adotada pela categoria, o que não é o caso da conduta promovida pelo Estado da Bahia que, por simples desprezo e descaso com os Agentes Penitenciários, abandona à própria sorte aqueles que devem representá-lo".

Fonte: Bocão News

COMMENTS

Nome

#OLabinho,4,=,1,Acidente,1,Assassina,5,Auto-ajuda,4,b,3,Bahia,683,Barra da Estiva,1,Brasi,7,Brasil,2989,Brasília,1,chuva,3,chuvas,7,Claudia Wild,5,CNH,2,comercio,36,Copa,1,Correios,11,Corrupção,246,D'jane Silva,6,Dança e Cultura,2,Denúncia,421,Denûncia,67,Desabamento,10,Destaque,1950,Detran,3,Distrito Fedral,2,Economia,383,Educação,64,Eleição,137,Elizeu Rosa,31,Emprego,29,Encostas,1,Energia,19,Entretenimento,198,Esporte,18,Eunápolis,9,Europa,1,Feira de Santana,15,FUNAI,1,Futebol,3,Google,6,Governo,42,Greve,14,Ilhéus,24,Indígenas,4,Inflação,5,Internacional,42,Internacional.,56,Internet,2,Itabuna,20,Jequié,77,Justiça,47,Lauro de Freitas,17,Meio Ambiente,31,Migrantes,28,Mundo,241,N,1,Natureza,15,Noticias,2242,Notícias,3018,Paulo Afonso,2,Pobreza,10,poli,6,Policia,119,Polícia,351,Politica,840,Política,2530,Porto Seguro,14,Religião,15,Rio de Janeiro,4,Rural,2,Salvador,325,Saúde,163,Segurança Pública,161,STF,1,Tecnologia,28,Teixeira de Freitas,15,Terroristas,4,Trânsito,44,transporte,76,TRE,5,TSE,2,Violência,236,Vitória da Conquista,29,w,2,www,1,
ltr
item
Ebahia News: Alvo do TJ-BA, agentes penitenciários negam greve: 'O Estado induziu o Judiciário ao erro'
Alvo do TJ-BA, agentes penitenciários negam greve: 'O Estado induziu o Judiciário ao erro'
https://www.bocaonews.com.br/fotos/bocao_noticias/200867/IMAGEM_NOTICIA_0.jpg
Ebahia News
http://www.ebahianews.com.br/2018/03/alvo-do-tj-ba-agentes-penitenciarios.html
http://www.ebahianews.com.br/
http://www.ebahianews.com.br/
http://www.ebahianews.com.br/2018/03/alvo-do-tj-ba-agentes-penitenciarios.html
true
6004791991803311525
UTF-8
Todas as publicações Não foi encontrada nenhuma postagem VER TUDO Mais informação Resposta Cancelar resposta Delete Por Home PAGES POSTS View All RECOMENDADO PARA VOCÊ LABEL ARQUIVO PESQUISA TODAS AS PUBLICAÇÕES Não encontrou nenhuma correspondência de pós com seu pedido Voltar Início Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS CONTENT IS PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy