$type=grid$show=home$count=4$cate=0$rm=0$sn=0$au=0$cm=0

PT cresce no Nordeste, mas perde hegemonia na classe média

Com quatro governadores eleitos e compondo a chapa em mais cinco, o partido se manteve firme apenas na região nordeste do país
PT: Desempenho da sigla no Nordeste se deve muito ao "Lulismo" (Paulo Whitaker/Reuters)
São Paulo – Mesmo com o aumento da importância no Nordeste, com a eleição de governadores e vices, o PT sai da eleição deste ano como um partido menor e com menos força, tanto no Congresso Nacional quanto nos estados.

Para Fernando Schüler, cientista político e professor do Insper, a sigla que ficou por 14 anos na liderança do Brasil, perdeu a hegemonia em um eleitorado que lhe era fiel — a classe média brasileira.

“O PT conseguiu sobreviver com a força do “Lulismo”, principalmente no Nordeste que é claramente aquele eleitor do Lula mais dependente do estado, dos programas sociais. Mas perdeu na classe média, que era aquele eleitorado mais associado a temas sociais. O fato real é que o partido perdeu hegemonia na sociedade geral”, disse Schüler.

Os escândalos de corrupção revelados pela Operação Lava Jato, o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, e a prisão do ex-presidente Lula, neste ano, foram determinantes para o resultado do partido nesta eleição. A derrota de Fernando Haddad também consolidou esse cenário.

Apesar disso, no Nordeste, o PT, além de ter eleito quatro governadores nos nove estados da região, também fez parte formalmente da chapa dos eleitos em outros cinco estados.

A força do partido já tinha sido atestada no primeiro turno, com as vitórias de Rui Costa (BA), Camilo Santana (CE) e Wellington Dias (PI), todos reeleitos. No segundo turno, Fátima Bezerra venceu no Rio Grande do Norte.

A sigla está na chapa tanto dos outros quatro governadores eleitos no primeiro turno – Renan Filho (MDB-AL), Paulo Câmara (PSB-PE), João Azevedo (PSB-PB) e Flávio Dino (PC do B-MA) -, quanto de Belivado Chagas, eleito no Sergipe neste domingo. No caso de Sergipe, o partido terá a vice-governadora, Eliane Aquino.

Em 2014, o PT elegeu três governadores — Bahia, Ceará e Piauí — e estava na chapa dos eleitos em Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e Sergipe.
Oposição

Segundo Schüler, o partido perdeu espaço em estados em que era forte até esta eleição. “Em lugares como Minas Gerais e Rio Grande do Sul, o PT sequer foi para o segundo turno. São colégios eleitorais importantes no país. Apesar disso, o partido será um dos principais opositores do governo Jair Bolsonaro”, afirmou o professor.

O especialista acredita, no entanto que a oposição terá uma configuração diferente daquela formada em 2014.

“A oposição ao presidente eleito será mais ampla. Teremos o PT, de uma forma mais organizada e muito forte nos movimentos sociais. Aliado ao partido, teremos o PDT, de Ciro Gomes, que chega como uma das maiores personalidades da oposição. E acredito que o PSDB também fará esse papel, apesar de muito mais brando”, ressaltou.

Para ele, o PSDB terá uma visão mais crítica em pautas mais polêmicas ligadas aos direitos humanos e questões culturais. Mas, na área econômica, o partido já demonstrou que é mais “simpático” às propostas de Bolsonaro.

“Fernando Haddad será a principal cara da oposição, junto com o Ciro Gomes, mas o PSDB terá papel importante nesse processo. Tudo dependerá também do ritmo da agenda do próprio governo. Se colocar a pauta mais conservadora logo de cara, poderá ter uma oposição mais aguerrida”, acrescentou Schüler.

Fonte: R7

COMMENTS

Nome

#OLabinho,4,=,1,Acidente,1,Assassina,5,Auto-ajuda,4,b,3,Bahia,688,Barra da Estiva,1,Brasi,8,Brasil,3063,Brasília,2,chuva,3,chuvas,7,Claudia Wild,6,CNH,2,comercio,45,Copa,1,Correios,13,Corrupção,248,D'jane Silva,6,Dança e Cultura,3,Denúncia,427,Denûncia,68,Desabamento,11,Destaque,1965,Detran,3,Distrito Fedral,2,drogas,1,Economia,393,Educação,71,Eleição,150,Elizeu Rosa,31,Emprego,33,Encostas,1,Energia,19,Entretenimento,203,Esporte,18,Eunápolis,9,Europa,1,Feira de Santana,15,FUNAI,1,Futebol,3,Google,6,Governo,43,Greve,14,Ilhéus,24,Indígenas,5,Inflação,5,Internacional,43,Internacional.,64,Internet,2,Itabuna,20,Jequié,77,Justiça,47,Lauro de Freitas,17,Meio Ambiente,32,Migrantes,28,Mundo,244,N,1,Natureza,15,Noticias,2341,Notícias,3224,Paulo Afonso,2,Pobreza,10,poli,6,Policia,121,Polícia,370,Politica,916,Política,2717,Porto Seguro,14,Religião,23,Rio de Janeiro,4,Rural,2,Salvador,325,Saúde,176,Segurança Pública,165,STF,1,Tecnologia,28,Teixeira de Freitas,15,Terroristas,5,Trânsito,46,transporte,79,TRE,5,TSE,2,Violência,252,Vitória da Conquista,29,w,2,www,1,
ltr
item
Ebahia News: PT cresce no Nordeste, mas perde hegemonia na classe média
PT cresce no Nordeste, mas perde hegemonia na classe média
https://abrilexame.files.wordpress.com/2018/04/2018-04-04t193735z_458537730_rc18fede82f0_rtrmadp_3_brazil-politics-lula.jpg
Ebahia News
http://www.ebahianews.com.br/2018/10/pt-cresce-no-nordeste-mas-perde.html
http://www.ebahianews.com.br/
http://www.ebahianews.com.br/
http://www.ebahianews.com.br/2018/10/pt-cresce-no-nordeste-mas-perde.html
true
6004791991803311525
UTF-8
Todas as publicações Não foi encontrada nenhuma postagem VER TUDO Mais informação Resposta Cancelar resposta Delete Por Home PAGES POSTS View All RECOMENDADO PARA VOCÊ LABEL ARQUIVO PESQUISA TODAS AS PUBLICAÇÕES Não encontrou nenhuma correspondência de pós com seu pedido Voltar Início Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS CONTENT IS PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy